Број тачака  2171

Uploaded 14.11.2015.

Recorded новембар 2015

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.294 m
710 m
0
10
21
41,74 km

Погледана 4647 пут(a), скинута са сервера 191 пут(a)

близу  Acaba Mundo, Minas Gerais (Brazil)

A trilha da Serra do Curral parte da Avenida de Ligação, n.º 100, no Bairro Vila da Serra, em Nova Lima – MG, e possui 41,8km de extensão, dos quais aproximadamente 50% são percorridos em estradas de terra, 30% em single tracks e 20% em asfalto. O trajeto é feito em sentido horário.
Para traçar a rota até o ponto de início da trilha, onde há vagas para estacionamento, utilize a ferramenta “como chegar pela estrada a este local”, na coluna à direita. Fica próximo à Fundação Torino.
Conheci o percurso por meio de uma publicação do Peppe, conforme a qual este trajeto foi utilizado na 2ª etapa do Iron Biker 2011, ano em que a competição teve início na Praça do Papa, em Belo Horizonte – MG.
Atualmente, entretanto, não é mais possível fazer a trilha a partir da praça, pois o Parque da Serra do Curral, que abrange partes do traçado original, não permite a entrada de ciclistas. Daí a necessidade de se partir da Avenida de Ligação, em Nova Lima. Com essa mudança no percurso, cerca de 80% do traçado original foi preservado.
É muito importante ressaltar que a região por onde passa a trilha apresenta más condições de segurança pública. Não são raros os roubos de bicicleta no Bairro Belvedere, perto do ponto de partida. Além disso, fui informado por um porteiro da Vale que há algum tempo foi encontrado o corpo de um ciclista em uma das barragens existentes na região.
A propósito, boa parte da trilha é percorrida em terreno de propriedade da Vale. Oficialmente, a entrada de ciclistas não é permitida, mas, dentro da área, vários vigilantes me observaram e fizeram vista grossa, alguns deles inclusive me deram orientações dos locais por onde deveria passar. Não há cercas para saltar e todos os empregados que trabalhavam no local foram cordiais e não criaram embaraços.
Sob a perspectiva da natureza, a área está bastante degradada pela atividade mineradora, mas, paradoxalmente, é muito bonita a lagoa formada na cava da antiga Mina de Águas Claras, na Serra do Curral. Além disso, nos primeiros quinze quilômetros é possível apreciar as belezas de alguns picos da serra. Na região predomina a transição entre Cerrado e Mata Atlântica.
O trecho em que a vegetação está mais bem preservada encontra-se entre o 29ª e o 36º quilômetros, que é percorrido em meio à Mata do Jambreiro.
Por outro lado, infelizmente, nas proximidades do 22º quilômetro, a trilha passa perto do que parece ser um lixão.
No que se refere ao aspecto técnico, o percurso é difícil. As estradas de terra em geral estão cobertas por cascalho. Em alguns pontos elas são extremamente irregulares. Em outros, são formadas por rocha nua ou minério de ferro coberto por pedregulhos, com péssima aderência. Há aclives prolongados nestas condições.
Entre o 17º e o 20º quilômetros é preciso pedalar sobre britas que anteriormente eram utilizadas para sustentar os dormentes de uma ferrovia. A empreitada é um tanto irritante. Ainda neste trecho há uma antiga ponte ferroviária, relativamente estreita, com cerca de 25m de altura, sem grades laterais, e com algumas pequenas imperfeições. Diante do risco de queda, sugiro que nesta travessia a bike seja empurrada.
O trecho mais técnico encontra-se entre o 29º e o 31º quilômetros, no meio da Mata do Jambreiro. Trata-se de uma trilha específica para veículos 4x4, denominada Melancia, percorrida de forma descendente. Ela é repleta de crateras, mas é pedalável e bastante divertida.
De outra parte, é preciso tomar muito cuidado com algumas grades e mata-burros no caminho. Parte deles é feita com trilhos de ferrovia em cujos vãos os pneus se enfiam com facilidade, mesmo os de 2.1”. São propícios ao desenvolvimento da arte dos capotes.
Também requer muita cautela a estrada de terra entre o 24º e o 29º quilômetros. Ela é coberta por uma espessa camada de poeira que se levanta quando os caminhões das mineradoras passam. Há momentos em que os caminhões trafegam enfileirados, o que, por retirar toda a visibilidade do ciclista e dos motoristas, pode causar atropelamentos.
Para amenizar essa situação, há caminhões tanque que molham a estrada com frequência. Mas isto causa outro inconveniente: a camada de poeira sobre o terreno transforma-se em uma escorregadia cobertura de lama.
Pedalei no local em uma quarta-feira e o movimento de caminhões era moderado, mas, claro, é possível que em outros dias da semana o movimento seja mais ou menos intenso.
Salienta-se, ainda, que no caminho encontram-se uns 5 riachos rasos para atravessar, todos eles com no máximo 20cm de profundidade, pelo menos no dia em que fiz a trilha. No waypoint “riacho E”, é preciso pedalar por cerca de 7m no curso d’água.
Quanto ao esforço físico, o trajeto também é difícil. Os aclives mais exaustivos estão entre o 20º e o 24º quilômetros, em estrada de terra, e entre o 31º e o 36º, em um single track em meio à Mata do Jambreiro. Mas também existem outras subidas que, apesar de serem mais curtas, são bastante exigentes, tendo em vista as péssimas condições de aderência proporcionadas pelos pedregulhos em meio a minério muito irregular.
Destaca-se que há alguns sítios e casas ao longo do caminho, o que permite que os recipientes de água sejam reabastecidos nestes locais.
Em relação ao sinal de celular, o da Oi esteve disponível de forma intermitente no curso do trajeto. No que tange às demais operadoras, não sei informar.
Resumindo, a trilha é realmente muito boa e retrata bem a essência do mountain bike, sendo difícil tanto sob a ótica do esforço físico quanto da técnica. Apesar disso, enfrenta problemas de segurança pública e requer cuidado no trecho em que há trânsito de caminhões. Pedalando em grupos maiores, talvez estes problemas possam ser atenuados.
Não deixe de observar os waypoints e, principalmente, as fotos sobre as condições do terreno.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
RESUMO DAS INFORMAÇÕES SOBRE O PERCURSO
Distância total: 41,8km
Dificuldade técnica: 7/10
Dificuldade física: 8/10
Inclinação das subidas e descidas: moderada a forte
Presença de sombra em aproximadamente 30% do trajeto
Presença de cachoeira: não
Beleza natural: 6/10
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATENÇÃO: esta trilha foi feita em novembro de 2015. Como as condições do percurso são continuamente alteradas, inclusive pelos períodos das chuvas e das secas, considere as descrições acima como indicativas das dificuldades existentes. Preserve a natureza, utilize equipamentos de segurança e, antes de iniciar uma trilha, observe as precauções divulgadas neste link.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
PREVISÃO DO TEMPO PARA A REGIÃO ONDE SE ENCONTRA A TRILHA:

13 коментар(а)

  • Слика од fredbsilva

    fredbsilva 24.02.2016.

    Olá Eugênio, tudo bem? Vi que você fez essa trilha recente, será que ainda continua do mesmo jeito? Qualquer dia eu encaro essa! Abraços!!!

  • Слика од Eugênio Ribeiro

    Eugênio Ribeiro 26.02.2016.

    E aí, Fred, tudo beleza?
    Acredito que deve ter mudado pouca coisa.
    É uma trilha bem legal, mas as questões de segurança pública são preocupantes.
    Abraço!

  • Слика од fredbsilva

    fredbsilva 26.02.2016.

    Obrigado Eugênio!!! Se eu fizer essa trilha, depois eu te aviso como foi!!! Quando estiver em BH e for fazer uma trilha me dê um alô!!! Abraço!

  • Слика од Eugênio Ribeiro

    Eugênio Ribeiro 02.03.2016.

    Pode deixar, Fred. Nos próximos finais de semana eu devo fazer a Milk Shake. Eu te aviso. Até mais!

  • Слика од fredbsilva

    fredbsilva 02.03.2016.

    Combinado! Será uma honra!!! Depois vou postar umas trilhas que já fiz. Eu uso mais o Endomondo.

  • sebastian_battaglia 29.04.2016.

    parabens pela descricao! merecia um pulitzer!!

  • Слика од Eugênio Ribeiro

    Eugênio Ribeiro 03.05.2016.

    Nó, Sebastian, chamei até minha mãe pra ler sua mensagem! Abraço e boas pedaladas!

  • eng.erivelton 27.11.2017.

    Eugênio, bom dia! O acesso ao Parque pela praça do Papa ainda está restrito para bicicletas? Não conheço a serra do curral. Sou frequentador assíduo do parque rola moça e gostaria muito de finalizar os pedais neste ano na serra do curral. Na sua descrição você menciona problemas em relação à segurança do percurso. Saberia me informar se ainda continuam frequentes os roubos de ciclistas na região? Mesmo indo em grupo de ciclistas é inseguro? Agradeço pelas informações prestadas!
    Forte abraço!

  • Слика од Eugênio Ribeiro

    Eugênio Ribeiro 27.11.2017.

    Olá, Erivelton.
    Creio que ainda é proibido pedalar a partir do Parque da Serra do Curral.
    As advertências sobre a segurança pública feitas no texto acima permanecem válidas. Pedalando em grupo, os riscos tendem a ser atenuados, mas não eliminados. Regra geral, quanto mais próxima da cidade de Belo Horizonte, mais insegura é a trilha.
    Abraço!

  • rmike86 09.02.2018.

    Atualizando 2018: Fiz a trilha e aconselho não se aprofundarem na mata do jambreiro, o terreno está com fortes erosões, tornando impossível o tráfego com bike. O restante da trilha é show! Abraços

  • Слика од David Ygor

    David Ygor 15.02.2018.

    Para chegar nas proximidades da Cava, qual o grau de dificuldade que você daria para acessar o local com uma motocicleta? Existe grandes obstáculos?

    É inegável as belezas que estão escondidas atrás de Belo Horizonte, porém, uma pena ter sido destruída de forma tão impune pelas diversas mineradoras que destroem as serras que se estendem de Itatiaiuçu até o distrito de Penedia, em Caeté

  • Слика од Eugênio Ribeiro

    Eugênio Ribeiro 26.07.2018.

    Desculpe a demora, Ygor. Não há dificuldades físicas para chegar à cava de motocicleta. Porém, duvido que os fiscais da Vale deixarão você pilotar a moto por ali. Até mais.

  • Rui Meneghetti Junior 20.11.2018.

    I have followed this trail  View more

    Não façam a mata do Jambreiro . Impossível de fazer de bike . Subida com varias erosões . Um lixo essa parte da trilha !!! Não façam . Achei que não ia conseguir acabar por conta de ter q fazer essa parte andando e 70% subida !!!!!

You can or this trail